O Dia em que te Esqueci

O Dia em que te Esqueci Quando amamos algu m n o perdemos s a cabe a perdemos tamb m o nosso cora o Ele salta para fora do peito e depois quando volta j n o o mesmo outro com cicatrizes novas s vezes volta maior se o

  • Title: O Dia em que te Esqueci
  • Author: Margarida Rebelo Pinto
  • ISBN: 9789895554966
  • Page: 211
  • Format: Hardcover
  • Quando amamos algu m, n o perdemos s a cabe a, perdemos tamb m o nosso cora o Ele salta para fora do peito e depois, quando volta, j n o o mesmo, outro, com cicatrizes novas s vezes volta maior, se o amor foi feliz, outras, regressa feito numa bola da de trapos, preciso reconstru lo com paci ncia, dedica o e muito amor pr prio E outras vezes n o volta Fica Quando amamos algu m, n o perdemos s a cabe a, perdemos tamb m o nosso cora o Ele salta para fora do peito e depois, quando volta, j n o o mesmo, outro, com cicatrizes novas s vezes volta maior, se o amor foi feliz, outras, regressa feito numa bola da de trapos, preciso reconstru lo com paci ncia, dedica o e muito amor pr prio E outras vezes n o volta Fica do outro lado da vida, na vida de quem n o quis ficar do nosso lado.

    One thought on “O Dia em que te Esqueci”

    1. a historia parece banal ,mas a forma como ela escreve da gosto de ler. ler cada frase com especial atençao e deliciar-me com cada palavra

    2. "O dia em que te esqueci" é um daqueles livros que é impossível uma mulher ler sem trazer à memória, lembranças de um amor que marcou e magoou, nem que fosse apenas por um par de meses. Não sei se gostei ou se não gostei do livro, porque não me consegui afastar dos pensamentos mais tristes que tenho de um amor que é impossível esquecer. Tem frases bonitas, mas o conteúdo e a forma é fraco, como tudo aquilo que tenho lido da Margarida Rebelo Pinto.

    3. Sinceramente não pretendo fazer uma grande crítica a este livro da Margarida Rebelo Pinto - tão criticada por uns e amada por outros. Faço parte dos que estão na indiferença, dos que se tiverem oportunidade em agarrar num livro dela sem pagar nada acabam por o fazer pelas horas de entretenimento. O Dia em que te Esqueci é um dos melhores livros que li da Margarida até agora - talvez por estar no mesmo estado de espírito, dentro do mesmo contexto em que ela escreveu esta carta, tal como [...]

    4. Este foi o terceiro livro que li da Margarida e infelizmente não me conquistou muito. Ao fim de três livros dela acabo a perceber que todos eles tratam do mesmo assunto e todos eles parecem contar a mesma história, mas com uma outra diferença. Percebi que com este ela finalizou a história do tal amor que não resultou e sinceramente espero que ela tenha conseguido deixá-lo para trás. Agora só anseio que ela se livre realmente desse amor e que nos traga novas histórias, novas visões de [...]

    5. Para ser sincera, dei mais uma oportunidade a esta autora, e como tinha terminado recentemente um namoro, decidi que o título enquadrava-se bem com o que estava a passar na altura. Mas mais uma desilusão, pensando eu que poderia tirar umas ideias engraçadas, mas nicles batatoides. Quando terminei de ler, disse que não poderia ficar com o livro e dei a oportunidade de outra pessoa ( desgraçada) de o ler. Acho que a Margarida já escreveu bons livros, mas estes últimos é para esquecer.avici [...]

    6. LETRAS ILETRADAS:letrasiletradas/2The Day I Forgot YouHow can we forget a(n) (im)perfect love? How can we move on when the past holds memories that seem so real? How to survive an unexpected grief?This book doesn't answer these questions. Only describes the hidden feelings of an unrequited love. The reading gives a feeling of closeness and even embodiment of the reader.The story doesn't teach (and much less advises) to forget the past. The real lesson is to fight nostalgia. Learn from mistakes, [...]

    7. Foi o primeiro livro que li da Margarida. Já tinha ouvido falar dos seus livros e, quando este me foi oferecido por uma das minhas amigas, vi uma oportunidade perfeita para conhecer este autora. É um livro pequeno, uma carta, em que Margarida explica ao seu antigo amado o longo processo que teve de desenvolver até o conseguir esquecer por completo. Fala do seu enamoramento, da sua entrega, das suas tentativas falhadas em esquece-lo, das suas recaídas, do seu susto quando teve um AVCNão é u [...]

    8. "Nunca tive medo da luz, nem tampouco me assustei com a minha sombra, mas aprendi a ver nas trevas dos outros a grandeza da minha própria escuridão, e demorei demasiados anos a aceitar que, se há coisas que nunca se agarram, o amor é uma delas. Sempre que tentas correr atrás dele, brinca com a tua dor, faz-se de gato da Alice, que escarnece de nós para desaparecer em seguida, brincando aos impostores como Oz, o feiticeiro, que se divertia a ser mau, só para provar que a maldade é uma for [...]

    9. Este livro foi escrito em forma de carta a um amor que não foi feliz para sempre. Entre avanços e recuos, novos amores e outras desilusões, a personagem principal liberta-se, quando menos espera, de um homem que amou, por quem foi amada, mas que nunca se comprometeu.Gostei muito deste livro e recomendo-o a quem gostar de romances

    10. A minha avaliação pode ser suspeita pois acabei de sair de uma relação de 10 anos e este livro tocou-me especialmente mas achei lindo.Há frases que me fizeram pensar se realmente a minha relação era mesmo o que eu pensei ser.Acho que o li na altura certa pois estava com espírito para ele, se fosse no ano passado podia não ter sido tocada desta maneira.

    11. Foi o 2º livro que li da Margarida Rebelo Pinto (o primeiro foi “A rapariga que perdeu o coração”, muito fofo, por acaso!). Confesso que este me atraiu pela capa, tão linda e chamativa, mas o conteúdo não é assim nada de muito espectacular. É interessante, lê-se muito bem, mas nada mais.

    12. Demasiado romântico e um bocado cliché, na minha opinião. Ainda assim tem umas boas frases melancólicas e que se podem identificar com o estado de espírito do leitor.

    13. Tão mau que quis chorar por ter perdido o meu tempo a lê-lo. O meu primeiro e último livro desta autora.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *