Na Tua Face

Na Tua Face Um dos ltimos romances de Verg lio Ferreira mas n o sendo o derradeiro o que talvez melhor resume o percurso na vida e na obra do autor Como em muitas outros livros em Na Tua Face ficcionada a pro

  • Title: Na Tua Face
  • Author: Vergílio Ferreira
  • ISBN: 9789725648940
  • Page: 449
  • Format: Paperback
  • Um dos ltimos romances de Verg lio Ferreira, mas, n o sendo o derradeiro, o que talvez melhor resume o percurso na vida e na obra do autor Como em muitas outros livros, em Na Tua Face ficcionada a problem tica existencial o amor, a morte, a solid o, a evid ncia da beleza, a descoberta do eu e a defini o do outro, a insufici ncia da palavra e a incomunicabilidadeUm dos ltimos romances de Verg lio Ferreira, mas, n o sendo o derradeiro, o que talvez melhor resume o percurso na vida e na obra do autor Como em muitas outros livros, em Na Tua Face ficcionada a problem tica existencial o amor, a morte, a solid o, a evid ncia da beleza, a descoberta do eu e a defini o do outro, a insufici ncia da palavra e a incomunicabilidade humana, e a experi ncia da doen a e da dissolu o do corpo, a transcend ncia Mas aqui a hist ria do pintor Daniel de certo modo a hist ria da voca o frustrada de Verg lio Ferreira que ao longo da Conta corrente foi repetindo N o preferi a minha arte Calhou me Ou talvez seja essa a sorte de todas as prefer ncias escolhe se sempre o que nos coube, ou seja o que se Mas a verdade que, se na escolha se escolhesse, escolheria a pintura.

    One thought on “Na Tua Face”

    1. From this literary work, I will highlight a secondary character, the young Serpa, an handicapped to whom they gave the nickname of "toad", student of Law and that will integrate, at a given moment, in sports tests for disabled people, more concretely a race of wheels-chair. The event is attended by his friend Luc, his sister Luz who photographs the athletes and his father, the narrator who describes the episode. One day, it was summer, we were here at the beach house, it was night and we could h [...]

    2. ESte livro impressionou-me tão pouco, que não me lembro minimamente de que tratava, apenas que não gostei.

    3. " () reabsorver em mim o sagrado da vida. A beleza, pois, e o que é? Aprender a verdade do ser que tem a beleza do infinito, suponho."

    4. "Tocava com veemência uma balada crispada na guitarra e pensava sem pensar ela ouve-me, vai acender a janela, as estrelas do céu estremecem, no fundo do seu sono ela escuta. Sentia a vibração no espaço deserto do lago, era necessário que ela ouvisse a minha oração. Como num templo, a prece não é o que diz mas a emoção do dizer, o frémito que a intensifica como o choro de quem pede. Ouvir-me. Dizer-me estou a ouvir no fundo do meu ser. Irei talvez ter contigo, caminharemos os dois de [...]

    5. Vergílio Ferreira é um mestre e este romance é prova disso mesmo. Trata-se de uma prosa que é um relato da passagem de uma vida feito na primeira pessoa. Um relato introspetivo que navega ao sabor das ondas do pensamento, das nuances da memória. A temática central é a beleza embora envolta num contexto que absorve todas as reflexões primordiais em Vergílio Ferreira: o sentido da vida, a morte, Deus. São reflexões profundas que não deixam o leitor indiferente, que pedem uma segunda e [...]

    6. Antes de mais, gostaria de clarificar que o único contacto que já tinha tido com Vergílio Ferreira tinha sido com a Manhã Submersa. Marcou pelo seu peso emocional, mas não me suscitou muita curiosidade quanto a outras obras do autor.God, was I wrong.Ao ler o Na Tua Face, dificilmente consegui identificar traços comuns à Manhã Submersa. Denota-se temas muito diferentes (o grotesco, o tempo, o amor) e um estilo de escrita muito mais modernista.A sinopse? Basicamente, trata das memórias de [...]

    7. Lembro-me que na primeira vez que li este livro, fiquei com a sensação de ser maçador, recordo-me até de ter mencionado que teria sido provavelmente dos livros que menos vontade me fez ter de sentar e ler tudo, tudinho. Dei uma segunda oportunidade e desta vez, não só me fez ter vontade de sentar e ler tudo, tudinho, como me fez perceber o quão bom este romance é. Talvez aquilo que o tornou tão maçador da primeira vez foi o facto de ter de o ler obrigatoriamente. :p

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *